30 novembro 2016

Atividades para crianças de 1 ano

Seu bebê já não é mais tão bebê. Anda pela casa, quer explorar tudo (normalmente o que não pode) e você fica sem saber o que fazer com ela.

Então, vamos lá! Tem pequenas atividades, simples mesmo. Que você pode explorar com a criança.

Nessa fase a criança gosta de bater palmas quando está contente, falar pequenas frases, dar tchau, rabiscar, virar as páginas dos livros, montar torres e objetos, Ela precisa explorar e ser incentivada a continuar e fazer mais tais atividades.



Ouvir músicas, cantar (do jeito dela), ouvir histórias são atividades que podem acalma-la (dependendo da música e história) e ajuda em seu desenvolvimento.

A criança nessa idade gosta muito da repetição. Ouvir centenas de vezes a mesma história, mesma música...

As vezes nos preocupamos com brinquedos educativos, que as vezes são até caros. Criança nessa faixa etária ama embalagens e caixas. Higienize embalagens e caixas usadas e deixe-a explorar.



video

A Cecília com uma embalagem reutilizada, brincando de colocar um brinquedo dentro.

"Esconde-esconde" (o famoso "Achou"), rolar no chão e imitar também amam.

Compre livros de tecido, plástico ou aqueles com capas e folhas duras para que a criança explore. Quanto mais figuras, mais colorido, mais interessado o bebê será.

Lembre-se que criança nessa idade cansa rápido. Por isso, as brincadeiras devem durar de 5 a 7 minutos.

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.



28 novembro 2016

Ideias criativas de lembrancinha infantil

Se tem uma coisa que a gente quebra a cabeça são com as lembranças de aniversário! Eu sempre quero algo criativo, diferente... mas também algo que a pessoa guarde.

Não vejo razão em gastar dinheiro em algo que a pessoa jogue fora, seja descartável. Então, quero dar algumas dicas que vi e pode ajudar você!

1- Almofada personalizada - Além de serem coloridas, podem serem feitas de acordo com o tema da festa.

Imagem: Elo7

2- Mochila - Essas mochilas também podem ser temáticas e são super fofas. Se você não dispensa as guloseimas, pode colocar dentro da mochila


Imagem: Elo7

3 - Mini lousa - Achei esse super fofo! A loja dispõe de várias estampas, dando para agradar meninos e meninas.


Imagem: Elo7

4 - Chinelo - Essa lembrança dá um pouco de trabalho porque precisa saber o número de calçado das crianças. Mas acho que fica bem legal.


Imagem: Elo7

5 - Baldinho de Praia - Além de diferente e poder personalizar, é uma lembrança que todas as crianças gostam não importando a idade.


Imagem: Elo7

Gostaram das dicas? Tem alguma? Coloca nos comentários para a gente ver!

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.

* Todas as lembranças foram retiradas do site Elo7. É uma dica, não publieditorial. Se quiser ver mais detalhes de alguma lembrança, clique no link abaixo da imagem.





25 novembro 2016

Tal Mãe Tal Filha (Gilmore Girls)

Hoje o Netflix disponibilizou a nova temporada de Gilmore Girls. A série terminou em 2007 e a  nova temporada mostra como estão todos os personagens no ano atual.

Se você não conhece a série, mostra a relação de mãe e filha (no Brasil a série se chama "Tal mãe, tal filha"), em uma cidade pequena. A série é linda! Mostra assuntos de amizades, família, conflitos...

Quando a série iniciou (em 2000) eu tinha 20 anos. Via no SBT e depois pela Warner. Lembro que me colocava no lugar da filha e mesmo sendo mais velha que ela, me via na expectativas que ela tinha quanto ao futuro profissional e amoroso.



Em 2003 casei, 2004 comecei a fazer faculdade e lembro que na última temporada em 2007 vibrei com a formatura dela porque estava próxima a minha.

Quando vi o anúncio que teríamos essa nova temporada, quis rever (pela enésima vez) as temporadas. E foi muito engraçado porque não me vi mais nos olhos da filha, mas da mãe.

Sempre fico imaginando como vai ser minha relação com minhas filhas, principalmente a Míriam que está com 7 anos e vira e mexe tem crises precoces de pré-adolescência.

Os anos passaram e as nossas expectativas e sonhos vão mudando. Antes pensava mais na profissão, casamento. Hoje com isso estabilizado na minha vida, penso se conseguirei ter a linda relação e cumplicidade que as personagens tem e que tenho também com minha mãe.

Se você não viu a série, veja! Principalmente se está nessas fases que relatei aqui.

23 novembro 2016

Dica para um Enxoval barato (parte 2)

Outro dia, dei algumas dicas por aqui como fazer um enxoval barato. Se você não leu, clica aqui

Mas uma dica importante que não dei é fazer compras pela internet. Eu confesso que sou viciada em comprar pela internet. Além de ser mais prático, os preços geralmente são bem mais baratos.

Se você ainda tem medo de comprar pela net, vou te dar algumas dicas:

1- Veja a reputação do site: Pergunte à outras pessoas se compraram nesse site, veja as avaliações de vendas, procure informações sobre o site. Se você colocar o nome do site no Google, se houver muitas reclamações aparece na pesquisa. 

Outra forma de ver a reputação do site é olhar no site  "Reclame Aqui" se há alguma reclamação do site.

Imagem: Pinterest

2 - Economize no frete: Procure comprar vários itens na mesma loja, assim você economiza no frete.

3- Preços mais baratos: Fique sempre de olho nas ofertas, você pode assinar as newsletters das lojas que mais gostar e quando surgir uma promoção, você aproveitar para fazer a compra.

4- Cupons de desconto: Sempre que vamos finalizar a compra, vemos um espaço para preencher com cupons ou descontos. Certo? Ali colocamos um código para assim obter ainda mais desconto. Não sei se vocês sabem, mas existe sites especializados em cupons de desconto. São várias lojas, com vários tipos de itens... No site cupom.org você encontra esses cupons. Clica aqui para você ver!

Acredito que com essas dicas e as outras que dei no outro post, você está pronta para fazer um enxoval lindo e barato!!!

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.

* Este post é um publieditorial

21 novembro 2016

Por que somos julgadas como mães? Por que julgamos outras mães?

Temos visto na tv e internet campanhas contra julgamentos que recebemos como mães. Seja de pessoas conhecidas ou não.

Creio que toda mãe já foi julgada: seja por amamentar ou não amamentar, por não alimentar o bebê como outra pessoa acredita que seja melhor, por colocar na creche ou por não trabalhar fora de casa para cuidar dos filhos, por dar ou não chupeta, por sair com o bebê na rua em dia de sol ou frio...

Ou seja, se você perceber de qualquer forma somos julgadas. O que não entendo é por que muitas vezes julgamos outras pessoas na mesma medida que somos julgadas e não gostamos?

Imagem: Pinterest


Se é tão ruim uma pessoa comentar algo contrário que fazemos com nossos filhos, por que também fazemos com outras mães?

Acredito que o melhor para nosso filho é aquilo que acreditamos. Mas, se não é para nossa amiga ou até mesmo a desconhecida que encontramos na rua, por que acreditamos que temos a voz da razão e temos que mudar o modo dela educar seus filhos?

Não estou falando que não podemos aconselhar ou dar um "toque" à uma amiga. Mas há formas de fazer isso e também assuntos necessários e não necessários. Se sua amiga quer dar chupeta para o filho dela porque você tem que convence-la a não usar? Isso é uma opção dela. Agora, se você percebe que ela  está tendo dificuldade em amamentar, aí sim, é algo para aconselhar, ajudar... 

Outro dia estava numa lanchonete em minha cidade. Essa lanchonete sempre está cheia, então, as pessoas acabam sentando junto à outras mesmo não se conhecendo.

Perto de mim sentou uma senhora com seu neto. Era evidente que ela não sabia o que fazer com ele. A criança devia ter entre um ano, um ano e meio e queria brincar com a tampa da garrafa pet. A avó falava o nome dele o tempo todo, como se ele estivesse "aprontando", mas estava apenas sendo criança. Ela o colocava sentado e ele mal conseguia se equilibrar na cadeira. Fiquei com pena porque era nítido que ela não sabia como cuidar dele, lanchar e dar lanche... estava perdida!

Do outro lado tinha uma mulher que observava com cara feia. De repente aquela vó colocou refrigerante na mamadeira do neto para dar para ele. A mulher que olhava, então perguntou para a avó quantos anos o menino tinha. A avó não sabia se respondia ou segurava o lanche ou o menino. E assim, começou uma chuva de julgamentos em cima da pobre senhora: "você está dando refrigerante para ele? Sabe o quanto de açúcar  tem isso? Sabia que faz mal? A senhora está fazendo algo ruim para ele, sabia?"

Eu fiquei perplexa com aquela mulher. O que ela tem com a vida daquela mulher? Por que ao invés de ajudar, julgar o que ela estava dando para o neto? 

Uma vez vi um vídeo que nunca vou esquecer. É um canal de uma especialista em sono infantil. Perguntavam para ela se era certo fazer cama compartilhada e ela respondeu: "O certo é aquilo que funciona para você. Se está te incomodando, mude! Se está feliz assim, continue".

Acho que isso é um ótimo conselho para nós, mães. A educação de filhos não é uma verdade absoluta. Se funciona para nós, vamos seguir em frente. Se não funciona, vamos tentar mudar. 

Mas se uma outra mãe não faz como nós fazemos, não quer dizer que esteja errado. Quer dizer que não funciona para ela. Simples assim!


Gostou do "textão" de hoje? Comenta embaixo!

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.


18 novembro 2016

Quando me tornei Tia!

Essa semana tive a experiência mais linda depois do nascimento das minhas filhas: o nascimento da minha primeira sobrinha.

Estou aqui há um certo tempo tentando explicar o que sinto, o que sonho, deixar uma mensagem para minha sobrinha ler no futuro e simplesmente não consigo.

Como pode uma pequena já nos marcar assim em apenas poucos dias?

É indescritível o amor de tia. É um amor tão lindo, tão puro e verdadeiro... Um amor que traz consigo sonhos... Sonhos de que ela tenha uma vida feliz, com saúde, conquistas...

Um amor que faz a gente querer ensinar sem a preocupação de mãe; um amor que faz q gente querer estar presente; um amor que faz a gente querer ser amiga, confidente... como brincamos na minha família "ser a tia legal"...




Duda,
Eu, seu tio e suas primas estamos felizes com sua chegada! É o melhor presente que seus pais poderiam nos dar. Conte conosco para tudo! Seja numa hora de aperto ou num momento de farra.
Te amamos!!!!

16 novembro 2016

Você sente ciúmes do seu filho?

Você deixa seu filho pela primeira vez na escola e ele não se importa em ficar longe de você. Quer dar papinha para a bebê, mas só aceita comer se a babá dá. Você tenta ensinar a falar "mamãe", mas a criança fala primeiro "papai". Já aconteceu algo assim com você? Ficou ciúmes do seu filho? É normal! Muito normal! Mas a partir daí as reações que temos é podem não ser normais.

Pensar que a vai deixar de nos amar ou vai nos substituir por outra pessoa é normal! Mas ficar brava quando alguém ensina algo novo para nosso filho, é o ciúmes exagerado! Como já passei por isso como professora! Tinha mãe que mandava a criança dizer que ela tinha ensinado algo que eu ensinei em sala de aula.

Imagem: Pinterest

Outro sintoma exagerado de ciúmes é quando a mãe pensa 24 horas no filho, sem conseguir até mesmo  cumprir com suas tarefas diárias. Esse sentimento de insegurança não é amor.

Muitas tem até mesmo a reação de não permitir que seu filho brinque ou passe o dia com familiares. Esse  sentimento de posse faz mal a mãe e a criança também. A criança pode crescer com baixa auto-estima, insegura, sempre querendo que a mãe resolva seus problemas por menor que seja.

Está com ciúmes? Crie laços, tenha tempo para brincar, sem diminuir os limites. E nunca esqueça que os laços que criamos com nossos filhos são eternos. Esse amor vai só crescer, independente dele ter outras pessoas queridas perto deles. 

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.

14 novembro 2016

A Criança e a Internet

Nos dias atuais não tem como fugir da era tecnológica em que vivemos. Para falar a verdade, ainda que esteja presente em todos os lugares, fico apavorada quando vejo crianças de 3, 2, até 1 ano usando tablets, celulares...

Muitos reclamam que as crianças de hoje não brincam de verdade, mas vejo os próprios pais incentivando à criança ficar somente no computador.

Entendendo bem o porquê disso acontecer. Temos que lembrar que atualmente dificilmente podemos deixar nossos filhos na rua brincando. Com isso, o lugar de brincar tem sido dentro da própria casa. Não querendo "barulho", "bagunça", principalmente os que moram em apartamento, acabam tendo como uma alternativa mais tranquila colocar a criança, mesmo pequena, na frente da tela do computador.

Não estou dizendo que seja errado o uso do computador (apesar que crianças muito pequenas acho que seja), mas é preciso moderação, limites e atenção.

É muito difícil dizer a partir de qual idade permitir, quanto tempo deixar... a internet é algo novo... com isso muitos ficam perdidos quanto ao uso.

Imagem: Pinterest

Confesso que sou um pouco rigorosa quanto ao uso da internet. Minha filha de 7 anos segue uma rotina aqui em casa. 

Pela manhã, após fazer o dever da escola, é hora de brincar. Brincar mesmo! Com os brinquedos! Brinca de casinha, Barbie, massinha, Chef de cozinha... o que ela quiser. 

À noite após a aula, pode ver televisão (ela gosta dos desenhos do Gloob e Disney Junior) e nesse momento fico com ela assistindo. Por que? Porque mesmo sendo desenho, alguns não passam uma mensagem boa. Por isso, fico do lado. Se achar que algo está errado, converso com ela. (Já viram o desenho da Peppa? O irmão dela é muito mal-educado). Após os desenhos ela lê ou leio antes de dormir.

Aí você me pergunta? E computador, internet, jogos no celular? Ela só pode jogar e ver vídeos na internet nos fim de semanas e feriados. Sendo que somente sites que eu conheça.

Pode ser muito rigoroso, mas tem dado certo aqui em casa. Se você dá mais abertura para internet na sua casa ou seu filho é mais velho (porque sei que aos poucos terei que ir liberando mais a internet por aqui)... quero deixar algumas dicas:

* Deixe o computador conectado à Internet em local de uso comum na casa, para supervisionar com facilidade. 
* Estipule quais sites seu filho poderá entrar e quanto tempo poderá ficar.
* Redes Sociais é de uso adulto. Se o seu filho faz uso, não permita conversas com estranhos e que exponham informações pessoais.
* Existe um site brasileiro chamado SaferNet que ajuda as pessoas quanto ao uso na internet. Nele é possível fazer denúncias de crimes virtuais e também possui orientações de segurança. 


Espero que essas dicas possam ter ajudado! Se você tem outras dicas para os pais aqui, coloca nos comentários, vamos amar trocar ideias!

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.