29 junho 2016

Brinquedos Montessori (baratos) da China

Outro dia trouxe para vocês sugestões de brinquedos educativos que podemos comprar bem barato em site chineses (se quiser ler é só clicar aqui).

Hoje quero trazer algumas sugestões de brinquedos educativos que são trabalhados no Método Montessoriano. Esse método está em "alta" nos dias atuais tanto com educadores, como pais. Muitos estão adotando o método em casa e acredito que as vezes não entendem a fundo o que isso significa.

Para dar uma breve definição, esse método foi desenvolvido pela médica e pedagoga Maria Montessori (por isso o nome). É caracterizado pela ênfase na autonomia, liberdade com limites e respeito pelo desenvolvimento natural da criança.

O seu material parte do concreto para o abstrato e tem a função de estimular e o desenvolvimento da criança de forma espontânea (depois se quiserem posso falar mais sobre o método).

Mas hoje o assunto são os brinquedos que são utilizados nesse método. Aqueles que a criança se desenvolve através das brincadeiras.


1- Costurando botões - Esse brinquedo é um ótimo desafio para as crianças. Desenvolve o movimento de pinça (coordenação motora fina). Pode ser utilizado por crianças à partir de 3 anos. $2,65


2- Hastes coloridas - Essas hastes de pelúcia são ótimas para estimular a criatividade das crianças. Podem montar o objeto que quiserem, do modo que quiserem. O pacote vem com 50 hastes. Para crianças à partir de 3 anos. $3,39 

3- Relógio de Montar - Além de aprender as horas, a criança aprende com a montagem dos blocos. Para as crianças à partir de 2 anos. $5,61

4- Montanha Russa - As crianças amam e esse tipo de brinquedo é ótimo para desenvolver a coordenação motora, a percepção visual e a organização espaço-temporal. Para crianças à partir de 1 ano. $7,00.


5- Blocos de Montar - Esse brinquedo acho ótimo porque pode ser usado pela criança durante muito tempo. Primeiro enquanto bebê, eles adoram potinhos para colocar um em cima do outro e até mesmo jogar... conforme crescerem, poderão brincar de colocar em ordem alfabética e numérica. Para crianças à partir de 1 ano. $4,59


Qual brinquedos mais gostou? Conte nos comentários!

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.




27 junho 2016

Mãe de Segunda Viagem: 5 Dicas para um enxoval barato

A melhor parte da gravidez é preparar o enxoval! Depois que a gente fica sabendo se o bebê é menino ou menina, já corremos querendo comprar tudo!

Mas há uma grande diferença na preparação do enxoval do primeiro bebê para o segundo.

No primeiro, além de não ter experiência, o sonho em ser mãe fala mais alto e queremos comprar tudo que vemos na frente. Porém, quando temos o bebê vemos que as vezes não foi um enxoval prático ou talvez comprou coisas demais que nem usa....

No segundo queremos ser mais práticas, comprar o essencial. Por isso, quero dar 5 dicas práticas para comprar um enxoval bonito, mas barato.

1- Faça uma lista com as prioridades - No primeiro enxoval, achava que antes do bebê nascer tinha que comprar tudo que estava naquelas listas que nos fornecem em lojas ou sites de bebê. Mas aquela lista geralmente tem utensílios para até os 6 meses do bebê. Não é necessário comprar tudo de uma vez.

Na segunda gravidez, então, listei prioridades. Pensei: "Se o bebê nascesse hoje o que precisaria ter em casa". Assim, comprei o que realmente precisava e depois fui acrescentando com o que gostava ou achava bonito.

Dentro das prioridades, é interessante pensar que existe coisas que são úteis, mas não são essenciais. Por exemplo: almofada de amamentação. É algo útil, porém pode ser substituído por um travesseiro (o que preferi). 

Nessa foto está a minha primeira filha, a Míriam. Depois da mamada ficava dormindo no travesseiro em cima do meu colo. Quando pequenos fica como uma caminha.


Outro exemplo: Poltrona de amamentação. Antes de ter filhos achava lindo ter uma poltrona, mas além de muitas pessoas me falarem que mal usaram, fiquei pensando que acabaria não usando já que não consigo ficar parada fazendo somente uma coisa. Então, não comprei e acabava amamentando na sala, vendo algum seriado.

Nessas listas aparece até termômetro para a água. Se não é o sonho da sua vida ter um, use o método antigo mesmo de colocar o cotovelo para ver a temperatura da água.

Por isso, antes de comprar pense no que é essencial para você. Assim, não comprará algo que vai acabar não usando.

2- Leve uma pessoa experiente - Quando for comprar, leve uma pessoa que confie e que seja experiente. Mesmo na segunda gravidez, pedi para minha mãe ir comigo comprar o que tinha listado. Ela me ajudou a ver o que tinha colocado pouco ou muita quantidade, me lembrou de coisas que esqueci.  Afinal, duas cabeças pensam melhor do que uma.

3- Compre de acordo com estação - Se o bebê vai nascer em época de calor não precisa comprar muitas roupinhas de inverno (compre somente para as primeiras semanas). E ao contrário também vale; se vai nascer no inverno não precisa comprar macacões de verão.

4- Aproveite as promoções de mudança de estação - Sempre que muda a estação as lojas entram em promoção. Se a promoção são de roupinhas de inverno, calcule mais ou menos o tamanho que seu bebê estará usando nessa época e compre algumas peças.

Comprar em sites chineses também vale a pena, mas como demoram a chegar, compre tamanhos maiores. Assim, quando chegar estará na época do bebê usar.

Brechós também são ótima pedida. Roupas de bebê são poucos usadas, por isso encontramos roupas praticamente novas em brechós com um custo bem pequeno.

Essa é a Cecília. Este macacão comprei no AliExpress. Paguei mais ou menos R$20,00
O tamanho dele é de 3 meses, mas ainda serve nela (ela fará 9 meses amanhã)


Essa saída de maternidade, comprei para a Cecília em um brechó. O macacão com a manta foi R$37,00. Achei super barato e estava com etiqueta. Não havia sido usado.


5- Essa é melhor dica que posso dar.... CURTA O MOMENTO!!! - Cada fase da gravidez, cada fase do bebê.... tudo passa muito rápido. Por isso, faça com que cada fase seja a melhor que está vivendo!

Espero ter ajudado com essas dicas! Na verdade ia gravar um vídeo! Acho que falando conseguiria explicar melhor, mas ainda não consegui gravar.... mas vou voltar o canal! Esperem que tenho muitas ideias!!!!


Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.




22 junho 2016

TDAH: O que é e como diagnosticar

Um tempo atrás parecia "moda". Toda criança que fosse um pouco bagunceira as pessoas já falavam que deviam ter TDAH. Antes de diagnosticar por si só que a criança tem, é preciso entender o que é TDAH e como ter certeza que a criança a tem.

Segundo a Associação Brasileira do Deficit de Atenção, TDAH (Transtorno do Deficit de Atenção com Hiperatividade) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e frequentemente o individuo por toda sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. 

Geralmente o diagnóstico é feito quando a criança está por volta dos 7 anos, ou seja, no início do ensino fundamental. Sendo de grande importância uma parceria da escola.

É muito importante entender que se a criança tem esses sintomas, não quer dizer que ela tenha TDAH. É preciso passar por uma avaliação especializada, não só para ter certeza do diagnóstico, como tratamento.

Se seu filho apresenta algum sintoma, consulte um especialista no tema. Os mais capacitados são os (neuro)psiquiatras e neurologistas. 

Imagem: Pinterest

Seguir o tratamento é imprescindível para a melhora da criança e muito importante que seja contínuo. Falhas no tratamento deixam a criança ainda mais tensa e as vezes agressiva.

Mesmo passando por tratamento algumas posturas nossas como pais e professores ajudam e muito uma criança diagnosticada com TDAH.

A primeira regra (a criança tendo ou não TDAH) é estabelecer regras e limites:  Toda criança sem regras e limites sente-se perdida. No caso de quem tem TDAH é ainda mais difícil para entender a rotina, o que é certo e errado.

Seja paciente, demonstre amor: Se a criança está agitada, agressiva, agir da mesma forma não a acalmará.

Tenha uma rotina: Acriança sente conforto e segurança quando sabe o que irá acontecer com ela.

Elogie e incentive nos momentos que conseguir cumprir atividades, mas também repreenda quando preciso. Ao chamar atenção, faça com amor. excesso de criticas prejudicam a autoestima da criança.

Quando a criança estiver agitada ou fazendo algo errado: Com calma fique de frente para a criança, abaixe no nível da criança para conversar olhando nos seus olhos. Segure nas suas mãos com carinho. Se estiver extremamente agitada, peça que respire fundo, com calma para acalmar. Aliás isso serve para todas as crianças.

Nunca exponha seu filho: Não fique falando do tratamento, como foi seu diagnóstico ou qualquer coisa do tipo perto da criança. Isso poderá constrange-la e sentir-se inferior.

Tive muitos alunos diagnosticados com TDAH e outros problemas neurológicos e sempre a paciência e amor ajudam o desenvolvimento da criança.

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.


20 junho 2016

Será mentira ou fantasia?

Quando estou lecionando em uma turma de Educação Infantil, sempre faço uma roda para conversarmos no início da aula. É um momento importante de interação com as crianças.

Após um fim de semana, ao perguntar para as crianças o que fizeram no final de semana, sempre deparo com alguma criança que conta histórias que nitidamente são inventadas.

Mas... será que isso é fantasia ou mentira? Como identificar quando é um ou outro?

Bem, primeiro vamos entender porque as crianças fantasiam. A fantasia ajuda a criança a entender o que se passa ao seu redor e na construção da sua personalidade.

Contribui para que a criança, durante da brincadeira, reconheça seus sentimentos e para nós, adultos, entendermos o que se passa com ela.

Sempre falo que observar uma criança brincando é o melhor termômetro para percebermos como elas nos vem. Se brinca com agressividade ou amor... principalmente quando brincam de casinha.

Quando ela fantasia a intenção não é mentir. Na escola e em casa vou escutando o que meu aluno/minha filha tem a dizer e num certo momento pergunto: "Essa história aconteceu ou você que criou?". Então eu digo: "Agora a professora/a mamãe quer ouvir o que te aconteceu de verdade. Depois a gente continua a inventar histórias".

Essa reação ajuda as crianças a entender o que é inventado e o que é realidade. Que há momento para um e para outro. Que o adulto entende a necessidade de ouvi-lo inventar, mas também se interessa com o que está acontecendo de verdade.

Imagem: Pinterest


Mas e a mentira? Mentira normalmente é contada por crianças maiores. Geralmente acontece por querer esconder algo por medo.

Por isso, quando nos deparamos com a mentira (quando ela quer enganar, encobrir algo...), devemos conversar com amor. Explicar que é uma inverdade e dar oportunidade de retratar o erro. Mostrar que a mentira traz consequências. 

Gosto muito de contar aquela história do menino que mentia dizendo que o lobo vinha e depois ninguém mais acreditava nele. A história ajuda a criança a se colocar no lugar do outro e a relação com a confiança que devemos ter com o outro.

Toda etapa que a criança está, é preciso que tenhamos paciência para explicar a ela o que está vivendo e como agir.

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.



17 junho 2016

Eu fui: Bienal do livro em Juiz de Fora

Esse ano tivemos na cidade a primeira Bienal do livro.

Fiquei muito feliz com mais esse evento na cidade e ainda mais com a empolgação que minha filha ficou, querendo ir e ver os livros que tinha.

Não há melhor maneira do que incentivar a leituras às crianças do que proporcionar esse tipo de passeio.





Como ela estava feliz! Queria ver todos os livros infantis! Com sua mesada comprou 5 livros! 



 

Achei o evento bem organizado! Com bastante variedade! Livros para todas as idades e gostos!

Sair de lá e ver minha filha feliz e agradecendo pelo passeio vale mais do que qualquer coisa!

Que venham mais eventos assim na cidade!


Ah! Lá no fundo está a escritora Thalita Rebouças. Não tirei foto com ela por vergonha de entrar na fila com as adolescentes! Mas valeu vê-la mesmo que de longe!

A bienal vai até esse domingo! Para quem é da cidade, vale a pena ir!






15 junho 2016

Brincadeiras de Inverno para fazer dentro de casa

Que frio está fazendo!!! Faz tempo que esse frio não aparece. Pelo menos aqui na minha cidade.

Por que ao invés de deixar as crianças brincando com jogos no computador (celular ou tablet) você não aproveita para terem um tempo juntos e fazer algumas atividades dentro de casa?

Boliche
Toda criança ama o desafio de tentar derrubar algo. Se não tem o boliche tradicional, use garrafas pet. Você enfeitar junto com seus filhos e depois jogam.


Amarelinha
Quem diz que amarelinha é brincadeira de menina está por fora. Meninas e meninos amam brincar. Para fazer em casa, você pode usar giz (dependendo do seu piso) ou até mesmo fita crepe.



Contação de História
Aproveite para contar uma história para seu filho. Se não sabe de cor, vale pegar um livro da criança. Mesmo que a criança tenha escutado a história, crianças sempre amam repetições. E por que não fazer uma encenação da história depois?



Cinema com amigos
Peça para seu filho convidar alguns colegas para um cineminha na sua casa. Podem juntos fazer um convite escrito pela criança. Faça lanchinhos que normalmente comemos no cinema. Eles vão adorar!



Criança na cozinha
Crianças amam ajudar na cozinha. E é um ótimo aprendizado para elas. Escolha um receita fácil, que seja gostoso de comer no inverno e faça junto com ele.



Gostaram das dicas? Se tiverem mais alguma, compartilhe nos comentários!

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.



*Todas as imagens foram tiradas do Pinterest

13 junho 2016

Educação Domiciliar

Fiquei surpresa quando li algumas reportagens de como tem crescido os adeptos à Educação Domiciliar (homeschooling) no Brasil. Antes de ter uma opinião formada sobre o assunto, tenho durante alguns meses lido muito argumentos de pessoas a favor e pessoas contra.

Bem, mas se você não sabe como funciona, vamos começar por aí. Muitos pais tem demonstrado insatisfação com o sistema escolar regular. Acreditam, que não tem cumprido sua função. Também querendo que seus filhos fiquem longe da violência e bulling preferem adotar o sistema de educação domiciliar.

A forma educacional é variado: há pais que se encarregam de lecionar, professores eventuais contratados para uma ou outra disciplina, atividades em horários e locais variados e por aí vai...

Imagem: Pinterest


Ao ler os argumentos dos pais adeptos a esse sistema educacional fiquei me perguntando: Será que colocar o filho em uma bolha, querendo "livrá-lo" de outras crianças que possam ser maldosas ou até violentas, os pais estão mesmo o criando para a vida? Será que está preparando essa criança para enfrentar as diversidades ao crescer?

Será que estudando apenas com crianças que tem a mesma vivência, as mesmas experiências de vida, não limitaria seu aprendizado? Quantas vezes estamos aprendendo algo com o professor e um colega levanta uma questão que nem pensamos...

Outra questão que me preocupou e até indignou foi o fato de muitos acreditarem que eles mesmos, como pais, podem educar seus filhos. Isso é menosprezar a formação de professores, coordenadores, orientadores... Quem trabalha na área de educação sabe o quanto nos dedicamos não só durante a formação, mas constantemente para que o aluno tenha êxito.

Será que ao invés de agir em causa própria, individualmente, tentasse juntos com os professores reivindicar melhores condições na educação, não seria muito melhor?

São questões a serem pensadas!

Além de todas essas questões que expus (opinião pessoal), tem um agravante importante: hoje de acordo com a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional) é obrigatório que crianças e jovens entre 4 e 17 anos frequentem uma instituição de ensino. Salvo casos específicos como: saúde, estar no exterior...

Os pais que não matriculam seus filhos podem ser denunciados, precisam pagar multa e passar a cumprir a lei.

A legislação pode até ser mudada se continuar aumentando os adeptos e esses projetos que pedem a regularização da Educação Domiciliar for aprovado. Mesmo se acontecer, valerá apenas em situações específicas, como acontece em outros países. Os pais precisariam justificar e aguardar aprovação governamental, por ser sempre uma segunda opção de método educacional.

E você? Qual a sua opinião? Não deixe de comentar!

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.

10 junho 2016

Antes e Depois de Ser Mãe: História da Lidiane

Seguindo a nossa Série de Antes e depois de ser mãe, hoje temos a história da Lidiane.

Como é bom compartilhar nossas histórias!

Eu sou Lidiane e tenho 35 anos. Ser mãe não era um desejo forte; me achava egoísta demais para cuidar de alguém que não fosse eu. Mas no fim de 2014, com 34 anos, pensei que poderia me arrepender mais tarde e joguei a cartela de anticoncepcional fora.

Sabemos que temos a nossa idade biológica e que não podemos bobear. Num piscar de olhos poderá ser tarde demais, porém fiquei bem desencanada. Entreguei ao destino, que rapidamente pensou: "Opa! Essa vai ser mãe logo. Ela vai provar que estava errada e que a maternidade é a melhor coisa do mundo!"

Sim, foi isso! Em março de 2015 descobri a gestação com 5 semanas e em novembro estava com o Enrico no colo, me transformando numa pessoa cada dia melhor.

Minha vida mudou muito. Deus aquela girada de mil vezes em 360°. Acho impossível falar em maternidade sem falar em mudanças: os medos, os anseios, o cabelo sem lavar, as unhas sem fazer, a comida fria, as noites mal dormidas e o amor que cresce dia a dia, o amor que cresce quando você acorda, o amor que cresce quando você dorme (se é que você dorme).

Digo que vivo a melhor experiência da vida e não sei como um dia pude pensar que não serviria para ser mãe. Cuidar de alguém que não seja nós mesmos e amar ser exigir nada em troca. Claro que há percalços, mas tudo se torna tão pequeno perto do sorriso que se abre quando te vê; os olhinhos que te procuram... e hoje posso dizer que vivo o famoso bracinhos abertos com o tom de "mamãe me pega!"


Os medos que tenho devem ser os mesmos que todas as mamães tem: de não saber educar a ponto de formar uma pessoa do bem, de se frustrar, de não ser uma boa mãe, de perder, de não aproveitar cada momento e num piscar de olhos eles crescerem. Por isso dou colo, beijo, abraço e sou toda dele!

Por enquanto, vivo a maternidade de forma integral. Curto a minha família, me dedico ao máximo para não me arrepender mais tarde. Deixo o dia correr sem driblar nada, me sinto extremamente cansada no fim do dia, mas quando ele dorme, saio do seu quarto e tenho a sensação de que cumpri bem a minha missão.

Essa é a maior satisfação! Temer, mas mesmo assim ir em frente, porque hoje não posso parar. É aprender os dias com eles... e olha que eles nos ensinam belas lições.

Eu nasci pronta! Eu não me tornei mãe quando ele nasceu. Eu me torno mãe todos os dias nesses 7 meses (que ele está comigo) e quase 40 semanas que ele ficou dentro de mim. 

Cada dia é um novo dia, cada dia me torno mais mãe do Enrico!


Meu nome é Lidiane
Sou mãe do Enrico
O que mudou depois que me tornei mãe - Tudo mudou na minha vida!
O que permaneceu igual depois que me tornei mãe - Nada!
Meu maior medo como mãe - De não saber educar a ponto de formar uma pessoa do bem e todos os outros que toda mãe tem.
Minha maior alegria como mãe - Aprender todos os dias com ele.
O que faço para driblar a correria do dia-a-dia para não esquecer que antes de mãe sou mulher - Me dedico integralmente a maternidade!



Obrigada por compartilhar sua história, Lidiane. Se você quiser também contribuir com essa série vai ser uma alegria! Me manda um email contando sua história: luciana.piresalvim@gmail.com


06 junho 2016

Como parar de procrastinar!

Nos dias atuais com tantas tarefas, tantas obrigações, acaba que muitas vezes vamos empurrando tudo com a barriga e no final do dia não conseguimos realizar todas as tarefas que queremos.

Tenho vivido dias cansativos, com muitas tarefas a cumprir e muitas que vão ficando pelo caminho.

É a procrastinação! O ato de deixar para depois o que se pode fazer hoje! 

Imagem: Pinterest

Confesso que isso não tem me feito bem. Termino o dia cansada, me sentindo culpada por não ter conseguido realizar tudo que queria.

Ontem estava vendo um vídeo antigo da Rosi do Canal "Éramos Dois" e ela dizia que não existe falta de tempo, mas sim excesso de desculpas. E é verdade! Como os dias estão corridos, temos todas as desculpas do mundo para adiar tarefas, regimes, obrigações, vídeos que quer gravar, lugares para ir... enfim! É fácil eu dar qualquer tipo de desculpa. Ainda mais agora sendo mãe de duas meninas.

Mas essa frase da Rosi ficou martelando na minha cabeça e fiquei pensando o que posso fazer para mudar isso. Como sempre faço, li bastante e coloquei minhas metas para parar de deixar para depois.

Primeiro escrevi numa agenda o que tinha a fazer durante o dia: seja tarefas domésticas, posts do blog, cuidados com as meninas... enfim! Tudo o que precisava fazer!

Diminui um pouco as tarefas, porque percebi que se colocar atividades em excesso, a chance de fracassar são maiores. 

Uma ótima técnica é parar um pouco após cada atividade. Nem que seja por 5 minutos. Isso ajuda a se empenhar em terminar o que está fazendo par alcançar a recompensa de descansar um pouco.

Outra coisa importante que li é a respeito de não buscar a perfeição. Sentir-se feliz não só com o que realizou, mas como realizou. Isso foi importante para mim que sempre me cobro muito.

Hoje foi o primeiro dia, confesso que deixei apenas uma tarefa não concluída. Mas também estou aprendendo a valorizar o que consegui realizar e não o que ficou para trás.

Espero que continue assim! E vocês? O que fazem para parar de procrastinar?

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.

03 junho 2016

Dica para o fim de semana: 3 Desenhos animados que ensinam pais e filhos!



Fim de semana chegando, que tal curtir um desenho com seus filhos?

Hoje trago 3 desenhos que trazem aprendizados não só para as crianças, mas nós adultos também.

1- Divertida Mente

Imagem: Pinterest


Sinopse: Riley é uma garota divertida de 11 anos de idade, que deve enfrentar mudanças importantes em sua vida quando seus pais decidem deixar a sua cidade natal, no estado de Minnesota, para viver em San Francisco. Dentro do cérebro de Riley, convivem várias emoções diferentes, como a Alegria, o Medo, a Raiva, o Nojinho e a Tristeza. A líder deles é Alegria, que se esforça bastante para fazer com que a vida de Riley seja sempre feliz. Entretanto, uma confusão na sala de controle faz com que ela e Tristeza sejam expelidas para fora do local. Agora, elas precisam percorrer as várias ilhas existentes nos pensamentos de Riley para que possam retornar à sala de controle - e, enquanto isto não acontece, a vida da garota muda radicalmente.

Amei essa animação! Traz um grande aprendizado a todos. Ajuda a compreensão da necessidade de gerenciar as emoções complexas. Nos lembra que ter uma criança feliz não significa que a criança deva estar feliz o tempo todo.

Mostra que é preciso a tristeza e alegria em nossa vida. As duas emoções fazem parte da vivencia das crianças e essa vivencia ajudam a serem mais fortes e terem bem-estar.

2- O Pequeno Príncipe

Imagem: Pinterest

Sinopse: Uma garota acaba de se mudar com a mãe, uma controladora obsessiva que deseja definir antecipadamente todos os passos da filha para que ela seja aprovada em uma escola conceituada. entretanto, um acidente provocado por seu vizinho faz com que a hélice de um avião abra um enorme buraco em sua casa. Curiosa em saber como o objeto parou ali, ela decide investigar. Logo conhece e se torna amiga de seu novo vizinho, um senhor que lhe conta a história de um pequeno príncipe que vive em um asteroide com sua rosa e, um dia, encontrou um aviador perdido no deserto em plena Terra.

Além de mostrar para nós, pais, que devemos deixar as crianças serem crianças; não colocar nossas frustrações como expectativa nos nossos filhos, ensina que devemos as vezes parar um pouco, relaxar... as vezes dar um tempo para nós é a chave da felicidade.

3- Coraline e o Mundo Secreto

Imagem: Pinterest

Sinopse: Entendiada em sua nova casa, Caroline Jones um dia encontra uma porta secreta. Através dela tem acesso a uma outra versão de sua própria vida, a qual aparentemente é bem parecida com a que leva. A diferença é que neste outro lado tudo parece ser melhor, inclusive as pessoas com quem convive. Caroline se empolga com a descoberta, mas logo descobre que há algo de errado quando seus pais alternativos tentam aprisioná-la neste novo mundo.

Minha filha ama esse desenho. Ela diz que até a música acalma. 

É uma animação para crianças maiores, as menores podem ficarem com medo. Aliás, essa é uma grande lição do desenho: fazer com que as crianças aprendam a lidar com o medo.

Diz a Míriam, minha filha, que aprendeu com o desenho não ir onde a mamãe diz que não pode ir.


Essas são minhas dicas de hoje! Tem alguma sugestão? Coloca aqui nos comentários!

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.


01 junho 2016

Atividades (algumas) para bebês de 0 a 1 ano

Nos últimos tempos percebo que os pais tem se interessado mais em estimular o desenvolvimento dos seus filhos desde o nascimento.

Isso é maravilhoso! Até os dois anos, o cérebro atinge 80% do tamanho adulto. Seu desenvolvimento é constante. É crucial estimular as áreas do lobo frontal associadas a linguagem, movimento, cognição e solução de problemas. Os resultados refletirão por toda a vida.

Vale lembrar que quanto menor for a criança, menor deve ser o tempo de estímulo. Com bebês, como aprendem muito em um tempo curto, o ideal é pouco tempo. Pode separar 5 minutos pela manhã e pela tarde. Para nós é pouco tempo, para eles é muito.


Quero deixar aqui algumas sugestões de atividades/estímulos simples que vocês podem fazer em casa utilizando materiais que tem em casa.

* Deitar o bebê com a barriga para cima e fazer movimentos de dobrar e esticar as pernas, tentando encostá-las na barriga. Faça movimentos bem devagar e no máximo 4 vezes. Cante alguma música calma, acompanhando os movimentos.

* Com os braços, faça movimentos de dobrar e esticar. Com um brinquedo de borracha que a criança tenha, estimule a fazer movimentos de abrir e fechar apertando o bichinho.

* Caso a criança ainda não senta, coloque-a apoiada com uma almofada, movimente um objeto no alto, e estimule o bebê a erguer a cabeça e os braços em direção ao objeto.

* Em frente a um espelho, sentar a criança e estimular movimentos de levantar os braços e inclinar o corpo.

* Estimule a amassar e rasgar papeis diversos.

* Estimule a acenar com as mãos.

* Cante músicas fazendo gestos.

* Conte histórias (mesmo que não entenda, a criança entende a entonação que lhe é contada a história).

Essas são algumas atividades simples, se quiserem posso trazer mais atividades. É só comentar!

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.