10 junho 2016

Antes e Depois de Ser Mãe: História da Lidiane

Seguindo a nossa Série de Antes e depois de ser mãe, hoje temos a história da Lidiane.

Como é bom compartilhar nossas histórias!

Eu sou Lidiane e tenho 35 anos. Ser mãe não era um desejo forte; me achava egoísta demais para cuidar de alguém que não fosse eu. Mas no fim de 2014, com 34 anos, pensei que poderia me arrepender mais tarde e joguei a cartela de anticoncepcional fora.

Sabemos que temos a nossa idade biológica e que não podemos bobear. Num piscar de olhos poderá ser tarde demais, porém fiquei bem desencanada. Entreguei ao destino, que rapidamente pensou: "Opa! Essa vai ser mãe logo. Ela vai provar que estava errada e que a maternidade é a melhor coisa do mundo!"

Sim, foi isso! Em março de 2015 descobri a gestação com 5 semanas e em novembro estava com o Enrico no colo, me transformando numa pessoa cada dia melhor.

Minha vida mudou muito. Deus aquela girada de mil vezes em 360°. Acho impossível falar em maternidade sem falar em mudanças: os medos, os anseios, o cabelo sem lavar, as unhas sem fazer, a comida fria, as noites mal dormidas e o amor que cresce dia a dia, o amor que cresce quando você acorda, o amor que cresce quando você dorme (se é que você dorme).

Digo que vivo a melhor experiência da vida e não sei como um dia pude pensar que não serviria para ser mãe. Cuidar de alguém que não seja nós mesmos e amar ser exigir nada em troca. Claro que há percalços, mas tudo se torna tão pequeno perto do sorriso que se abre quando te vê; os olhinhos que te procuram... e hoje posso dizer que vivo o famoso bracinhos abertos com o tom de "mamãe me pega!"


Os medos que tenho devem ser os mesmos que todas as mamães tem: de não saber educar a ponto de formar uma pessoa do bem, de se frustrar, de não ser uma boa mãe, de perder, de não aproveitar cada momento e num piscar de olhos eles crescerem. Por isso dou colo, beijo, abraço e sou toda dele!

Por enquanto, vivo a maternidade de forma integral. Curto a minha família, me dedico ao máximo para não me arrepender mais tarde. Deixo o dia correr sem driblar nada, me sinto extremamente cansada no fim do dia, mas quando ele dorme, saio do seu quarto e tenho a sensação de que cumpri bem a minha missão.

Essa é a maior satisfação! Temer, mas mesmo assim ir em frente, porque hoje não posso parar. É aprender os dias com eles... e olha que eles nos ensinam belas lições.

Eu nasci pronta! Eu não me tornei mãe quando ele nasceu. Eu me torno mãe todos os dias nesses 7 meses (que ele está comigo) e quase 40 semanas que ele ficou dentro de mim. 

Cada dia é um novo dia, cada dia me torno mais mãe do Enrico!


Meu nome é Lidiane
Sou mãe do Enrico
O que mudou depois que me tornei mãe - Tudo mudou na minha vida!
O que permaneceu igual depois que me tornei mãe - Nada!
Meu maior medo como mãe - De não saber educar a ponto de formar uma pessoa do bem e todos os outros que toda mãe tem.
Minha maior alegria como mãe - Aprender todos os dias com ele.
O que faço para driblar a correria do dia-a-dia para não esquecer que antes de mãe sou mulher - Me dedico integralmente a maternidade!



Obrigada por compartilhar sua história, Lidiane. Se você quiser também contribuir com essa série vai ser uma alegria! Me manda um email contando sua história: luciana.piresalvim@gmail.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário