23 maio 2016

Você já abraçou seu filho hoje?

Ontem foi dia do abraço e me lembrei que um dia vi uma mensagem que falava-se que para sermos felizes temos que receber 5 abraços por dia. Na época, comentei que se receber um da minha filha por dia, já me sinto a pessoa mais feliz do mundo!

Com isso, pensei o quanto um abraço pode ser importante também para uma criança. Lembrando da Terapia do Abraço. Já ouviram falar?

Como o próprio nome diz, é utilizar afeto quando a outra pessoa está enfrentando um momento de frustração. O abraço, com ternura, faz com que o corpo libere dopamina, endorfinas e oxitocina, químicos que impulsionam o bem-estar.

Pode reparar, quando enfrentamos um momento de crise por parte das crianças, que alguns chamam de birra, se brigamos, gritamos... a criança reage de forma pior.

Mas se experimentarmos abraçar a criança, dizer que entendemos sua frustração, poderemos ter um reação bem diferente.

Minhas duas princesas!
"O melhor lugar do mundo é dentro de um abraço!"


Não tive problemas sérios de birra com minha filha, mas ela é uma criança que precisa dormir 12 horas por noite. Quando não dorme o suficiente, fica sensível; chora por qualquer coisa e por vezes responde mal quem estiver por perto.

Ao acontecer isso, eu a abraço, falo que entendo que ela está com sono, cansada, mas as pessoas não tem culpa. Ela assim, consegue se acalmar por sentir-se acalentada.

Uma outra situação que ocorreu comigo foi em sala de aula. Um aluno, sempre que contrariado pelo motivo mínimo que fosse, ficava irado. Parecia um bicho! Gritava! Tentava machucar quem estivesse por perto. Jogava o material no chão. Era horrível!

Infelizmente, soube a triste situação em que vivia. Sem afeto, sem qualquer tipo de carinho. Criado como reagia: um bicho! Foi aí que pensei que talvez se demonstrasse afeto, ele poderia reagir de forma diferente. E foi incrível! Ao ter esse momento de acesso de raiva o abracei. Ele na mesma hora se acalmou, chorando baixinho e não sabia o que fazia. A impressão era que nunca havia recebido um abraço. Com isso, consegui acalmá-lo, pegar em suas mãos e reverter aquele quadro.

Depois disso, tive a certeza! Um abraço resolve muita coisa! E aí te pergunto: Você já abraçou seu filho hoje?

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário