26 agosto 2016

Toda criança precisa aprender a ser independente

Pode parecer difícil ensinar a criança a ser independente, seja por proteção, por apego ou por o vermos sempre como bebês.

Mas ensina-los a serem independentes é de extrema importância. Os fará serem mais seguros e confiantes.

É claro que toda criança precisa de proteção, mas sem excessos. Devemos cuidar e observar à distância seu crescimento.

Aos poucos podemos inserir atividades/tarefas para que eles cumpram e aos poucos vai virando rotina.

Ao invés de fazer tudo por eles, devemos ensiná-los e valorizar cada esforço. Seja ensinando a amarrar o calçado, a fechar o zíper da blusa... Assim, entendem que não precisam pedir para que os pais façam tudo, que primeiro podem tentar fazer sozinhos.

Um fator importante é a responsabilidade. Quando aprender a ser responsáveis, aprendem a ser independentes. Por isso, deixe que seu filho participe das atividades diárias da casa. Pequenos atos como retirar os partos da mesa, colocar roupa suja no cesto, guardar os brinquedos... o ajudarão a entender que cada um deve cuidar do que é seu.

Para ajudar a terem uma ideia do que podem fazer a cada idade, essa semana uma amiga me mandou essa imagem que mostra o que as crianças, a cada idade, são capazes de fazerem.

É claro que essa tabela é para ter uma ideia. Por exemplo: tem atividades que minha filha ainda não executa de acordo com o quadro, mas já faz algumas coisas da idade acima da dela.

O ideal é que você como pai ou mãe, que conhece seu filho, perceba o que ele é capaz e pode avançar.

Sei que as vezes a independência do filho pode parecer que ele não precisa mais de nós. Porém criamos os filhos para conquistar o mundo e tê-los seguros, confiantes será nossa maior recompensa!

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto

24 agosto 2016

Papo de Educadora: A Culpa que toda mãe sente!

Vocês já perceberam que desde que engravidamos nos cercamos de culpa? Seja por nos sentirmos cansadas, pela correria, algum atraso...


Hoje falo um pouco sobre isso no vídeo e deixo algumas dicas para superarmos esse sentimento!

Clica aqui! Não esquece de dizer o que achou do vídeo!


Espero que gostem! A avaliação de vocês é muito importante!





19 agosto 2016

Desabafos: Dia da Gestante!

Essa semana teve o dia da gestante! Acho engraçado como tem dia para tudo, mas enfim... foi o dia da gestante!

Fiquei repensando nas minhas duas gravidez (contei no canal como foi), as sensações, as emoções, os hormônios...

Vemos por aí muitas pessoas testemunhando gravidez que são verdadeiros milagres. Para mim, toda gravidez é um milagre de Deus!

Nas duas gravidez ficava imaginando como era louco saber que tinha um "serzinho" crescendo dentro de mim e tinha a sensação de que por mais que pesquisasse, estudasse tudo sobre gravidez, nada explicava tudo o que estava sentindo.

Sentimos medo, ansiedade, alegria tudo ao mesmo tempo. Graças as alterações hormonais que nos deixam totalmente desestabilizadas emocionalmente e ao mesmo tempo todos dizendo que não podemos ficar bravas ou chorar porque o bebê sente (difícil viu!).

Por outro lado o nosso corpo vai modificando. Sim! O corpo todo! Na primeira vez isso me assustou! Por mais que para as pessoas pareça que só está crescendo a barriga, a impressão é que estamos crescendo para todos os lados. É incrível como perdemos a noção do espaço que ocupamos.




Aliás, o nosso corpo modifica não só por fora, mas por dentro também. Nas duas gravidez fiz vários exames antes de engravidar e estava tudo ótimo. Quando engravidei (nas duas vezes), meu organismo alterou todinho. Aumentou pressão, glicose, colesterol... ficava mal achando que era por estar acima do peso, mas a médica dizia que na verdade isso ocorre porque o nosso organismo reage a tanta transformação e isso ocorre em várias pessoas independente do peso.

Tem pessoas que dizem que se sentiu mãe quando soube que estava grávida, que foi a melhor época da vida... sinceramente não sei se tais relatos são verdadeiros mesmo. Para mim não ocorreu dessa forma. 

 A gravidez foi a experiência mais incrível que já passei, mas não me sentia mãe ainda, não me sentia plena, nem bonita. Não conseguia conversar com a barriga e nem chamar pelo nome da bebê (só quando nasceu e vi o rostinho delas) e isso, parecia "blasfêmia" para algumas pessoas.

Acredito que toda experiência vem de forma diferente para cada pessoa. Nenhuma gestante precisa se sentir culpada por não sentir o mesmo que outras. 

É um período que passa muito, muito rápido. Mesmo se não for tão "pleno", aproveite e tenha um feliz dia da gestante!

17 agosto 2016

Como ser uma mãe perfeita!





Já perceberam o quanto somos cercadas por "mães perfeitas"? Mães que sempre quer nos dar conselhos, parecendo que o que fazemos é insuficiente ou errado ou ruim?

Pois é, no vídeo de hoje falo um pouco sobre esse assunto e dou três dicas de como podemos ser uma mãe perfeita!

Vejam o vídeo e não esqueçam de dar aquela ajuda amiga no canal e se inscrever.




E aí? Gostaram? Comenta o que acharam. A opinião de vocês é muito importante!


12 agosto 2016

Vamos fazer uma gincana olímpica em casa?

Que tal aproveitar as Olimpíadas e juntar a criança e fazer uma gincana olímpica.

Chama os amiguinhos do seu filho! Pode ser no pátio do seu prédio, no quintal da sua casa, no parque da cidade... vamos aproveitar o espírito olímpico!

Imagem: Pinterest

Caso você tenha bastante espaço, você pode fazer: Corrida do saco (ir da linha de saída à de chegada dentro de sacos de farinha), Corrida do caranguejo (ir da linha de saída à de chegada de quatro e de costas), Corrida da camiseta (revezamento onde o corredor deverá trocar de camiseta com o próximo da equipe a correr), queimada, lance livre na cesta de basquete, peteca, pique bandeira, cabo de guerra, 

Se tiver pouco espaço: Tiro ao alvo, Empilhar (empilhar determinada quantidade de objetos, ganha quem derrubar mais com uma bolinha de meia), campeonato de aviãozinho, bolinha de gude, amarelinha, pular corda.

Essas são algumas atividades, mas aproveitem e coloquem as crianças para se movimentarem!

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto

10 agosto 2016

Mãe de Segunda Viagem: O Terceiro Trimestre

O terceiro trimestre! Ah.... o terceiro trimestre!!!!!



O três meses que parecem durar um ano! Como passa devagar esses últimos três meses!!!!

Como falei no vídeo do segundo trimestre (veja aqui), o segundo trimestre são os melhores meses da gravidez. Você está preparando o quarto, enxoval... Nesse trimestre, já está tudo pronto! Você está literalmente esperando o bebê chegar....

Mas conto melhor como foi minha experiência no vídeo!

Clica para ver!!!...



Espero que você tenha gostado! Não esquece de ir lá no Youtube e se inscreva no canal!

Quarta tem mais vídeo!!!

08 agosto 2016

A importância do esporte na infância

Em meio às Olimpíadas (que eu amo), é lindo ver o envolvimento e interesse das crianças. É uma ótima época para ser estimulado o interesse das crianças pelo esporte.

O esporte é muito importante no desenvolvimento da criança. Ajuda a desenvolver o desenvolvimento físico, motor e na sua socialização.

É claro que ao pensar em praticar um esporte, imaginamos que a criança está fortalecendo seus músculos, sistema ósseo, mas o que acho mais importante é no desenvolvimento social. O aprendizado de se trabalhar em grupo, respeitar as regras, o próximo...



Para ser um momento saudável para as crianças, é importante que os pais pensem antes se o esporte é adequado a idade e desenvolvimento da criança, se ela se interessa em fazer e não um imposição/sonho seu. A criança precisa ter prazer em fazer a atividade escolhida. 

Outro aspecto que acredito ser extremamente importante é o fato de que atividade demais acaba prejudicando a criança. Esporte é para ser prazeroso! É para a criança ficar feliz ao pensar que vai exercê-lo naquele dia. Escolha uma ou duas atividades para a criança fazer.

Uma dica se quiser colocar em mais de um esporte, é procurar colocar em um que exija mais fisicamente e outro que seja mais "tranquilo". Assim, a criança não se sentirá sobrecarregado.

Para terminar quero lembrar que o esporte, como disse, deve ser algo prazeroso. Caso a criança participe de alguma competição, não exija demais. Elogie a dedicação; elogie os avanços.

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto.