22 março 2017

Dica de Compras: Roupas para o Inverno

Essa semana esfriou um pouco em minha cidade e me deparei com o problema que toda mãe enfrenta: as roupas que as meninas tinham de inverno estão todas curtas.

Quem me conhece sabe que amo comprar pela internet, então já corri para ver as lojas e claro, procurar por ofertas.

Então, vamos à algumas lojas que tem roupas e sapatos legais e com ótimo preço.

* Tricae - Já falei dessa loja aqui. Além de todo enxoval, itens para as mamães, brinquedos, tem ótimo preço de roupinhas e calçados. Comprei alguns calçados para a Cecília e paguei menos de R$20 em cada um.



* Dinda - Recebi indicação dessa loja e amei as roupinhas de lá.


* Retroca - Esse site é especializado em roupas baratas e brechós. Comprei o vestido de aniversário de 1 ano da Cecília lá. 


Gostou das dicas? Tem outras lojas para indicar? Coloca no comentários. Assim, uma ajuda a outra

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto



17 março 2017

Como me organizo com duas filhas, trabalhando fora de casa!

Em outro post, há um tempo falei sobre rotina e o quanto queria organizar nosso dia aqui em casa (clica aqui para ler)

Agora com a Cecília estando com 1 ano e 5 meses e voltando a trabalhar, queria ainda mais me organizar e não esquecer de nenhum compromisso.

Sempre escrevi em agenda, mas ainda quando estudava, fazia calendários para colocar os compromissos, provas.... porque fica mais fácil de visualizar.

Hoje temos vários modelos de planners que tem pronto o que fazia manualmente. Outro dia vendo um vídeo, vi um planner com preço ótimo e com capas lindas! Comprei na hora e quero mostrar como faço para me organizar.


A Capa (tem várias para escolher)


As páginas com calendários, com espaço para escrever os compromissos. Para facilitar, coloco por cores. Uma para compromissos e posts do blog e canal no YT, pessoal, para o trabalho, para o Ministério Infantil (que coordeno na minha igreja) e compromissos das minhas filhas.


Tem também páginas para metas e controle financeiro.

Além do planner, consegui organizar nossa rotina diária novamente. Agora com a Cecília maior. É claro que essa rotina irá mudando conforme ela crescer.

Se quiserem falo como é a rotina aqui em casa. Se acharem que irá ajudar.

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto




13 março 2017

Por que o desenho que a criança faz é importante?

Sempre amei observar as crianças fazerem desenhos. Você já percebeu como ela interage com o seu próprio desenho?

Gosto tanto desse tema que escrevi sobre isso no meu Trabalho de Conclusão de Curso da faculdade.

Muitas pessoas, até mesmo professoras, dizem que o desenho é uma preparação para a alfabetização. Mas vai muito além disso.

Através do desenho, demonstra como entende o objeto desenhado e não apenas como o vê. Além de mostrar suas ideias e sentimentos. Utilizando o desenho como uma forma de comunicação.

Imagem Gente de Mente


O desenho ajuda a criança expressar suas inquietudes e imprimir o que aprendeu.

Para a criança o processo da criação é mais importante do que a ação final. A criança fala enquanto desenha, cria personagens...

É importante que nós adultos não criemos regras, tornando uma atividade maçante, querendo direcionar desenho e cores... para que a criança não perca a oportunidade de descobrir, imaginar e criar.

Quando a criança mostra o seu desenho pronto, podemos perguntar e conversar sobre o desenho, não criticar ou julgar o desenho. A não ser que realmente seja preciso (se desenhar algo ruim socialmente por exemplo). 

Se você gosta de expor o desenho da criança pela casa, varie os desenhos expostos. Para que a criança não pense que somente um determinado tipo de desenho que ela fez é bonito.

Desenhos prontos são ótimos como uma atividade relaxante e para que a criança entenda os limites para colorir. Mas não deve ser parâmetro para um desenho correto ou bonito e assim cortar sua criatividade.

Lembre-se que quanto mais criativo, mais imaginação a criança tem, o que a ajuda futuramente a se tornar uma adulto criativo ao resolver seus problemas e a saber lidar com situações diversas da vida.

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto

06 março 2017

Como estimular o bebê a andar

Ver seu bebê dando os primeiros passos é muito emocionante! Mas requer paciência e tranquilidade para que a criança comece sem ansiedade e sem problemas.

É bom lembrar que cada criança tem o seu tempo. Não existe um tempo certo! Um ortopedista pediátrico uma vez me falou que crianças até 1 ano e meio que ainda não andam, pode ser considerado normal. Após essa idade, é bom levar num fisioterapeuta para uma avaliação, mas que geralmente com duas sessões já inicia os primeiros passos.

As vezes algumas crianças demoram a iniciar os primeiros passos por culpa dos próprios pais. Superproteção, não deixando a criança no chão ou não permitir que ela explore o ambiente, faz com que demore mais. Como a criança vai começar a andar se ficar somente no carrinho ou berço?

Se você fica apavorada com criança no chão, um acessório ótimo para bebês é o cercadinho. Além de permitir que a criança fique mais segura, ela consegue ficar em pé mais rápido e dar os primeiros passos, sem medo, segurando na barra do cercadinho.

Imagem Pinterest


Para estimular a criança a andar, você pode deixar um objeto um pouco distante e estimular que o pegue ou uma pessoa da família ficar de um lado e outra pessoa de outro, para a criança "andar" ao encontro de cada um.

Bebês amam ser segurados pelas mãos para ter segurança em dar passinhos. Segure as duas e depois, quando tiver mais segurança, use somente uma mão.

Quando já está conseguindo dar alguns passinhos, enrole uma toalha ou cachecol embaixo dos seus bracinhos para ajudar a dar os passinhos.

Não utilize andadores! Além de não estimular a criança a andar e poder provocar acidentes, os andadores fazem com que as crianças fiquem em pé com postura e pisada errada.

É muito importante que a criança fique tranquila. Não seja estimulada demais ou quando não aparenta ter vontade de andar. Não fique apavorada ou grite quando a criança cair ao andar. Essa fase as crianças levam muitos tombinhos e são eles que a ajuda a compreender como firmar o corpo. Se as pessoas ao redor demonstrar medo que a criança se machuque, ela também sentirá o medo.

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto

22 fevereiro 2017

Atividades com crianças de 2 anos

As vezes muitas pessoas ficam perdidas com atividades que podem fazer com as crianças em diferentes etapas da vida.

Alguns ficam praticamente nas mesmas atividades ou tentam algo que ainda não são próprios para a idade e assim, a criança não demonstra interesse.

Essa idade é ótimo para explorar não só várias atividades, mas materiais diferentes também.



Desenho: A criança ama ver seus "desenhos" aparecendo num papel em branco. Ofereça lápis, giz de cera, guache, esponja para "carimbar" com tinta... 

Encaixe: Tem vários brinquedos de encaixe, mas pode usar objetos de casa mesmo. Colocar um bolinha ou brinquedo dentro de um pote, fechar e abrir potes, jogar bola dentro de uma caixa.

Manuseio de materiais: massinhas, argilas... materiais que possam manusear, amassar, rasgar...

Conversas: Amplie seu vocabulário, conversando bastante com a criança.

Cores: Em tudo que brincar ou mostrar às crianças, apresente as cores. Começa pelas cores primárias.

Música: Gestos, cantigas que estimule partes do corpo.

Histórias: Conte histórias curtas. Crianças nessa idade amam e provavelmente irá pedir sempre a mesma.


Lembre-se que a criança precisa explorar ao máximo atividades e brincadeiras que ajudem na coordenação motora, conhecimento de cores, limite de espaço. Não é hora ou momento para letras e números... É óbvio que se ensinar a criança aprende, mas agora não é momento para isso.

Espero que tenha trago boas dicas! 

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto








15 fevereiro 2017

O que fiz para minhas filhas dormirem a noite toda!

Muitas mães reclamam o cansaço que tem por não dormirem direito de noite por causa dos seus bebês.

Graças a Deus aqui em casa, no primeiro mês, as minhas duas filhas já dormiam a noite toda.

Uma grande ajuda que tive foi ler o livro "Nana Nenê", dos autores Gary Ezzo e Robert Buckman.

Com o livro percebi que a amamentação está diretamente ligado à qualidade do sono do bebê. Até mesmo para que o bebê durma a noite toda.

Quanto mais termos uma rotina estabelecida durante o dia, mais rápido o bebê "entende" que a noite é para dormir (como diz a pediatra das minhas meninas).

De acordo com o livro nos primeiros dias de vida, o ideal é estabelecer a rotina de 3/3horas, com tempo de 15 a 20 minutos de cada lado. Quando o leite começa a fluir melhor, 15 minutos cada lado. 



O livro mostra que o bebê precisa de 3 atividades básicas: alimentação, hora de ficar acordado e hora de dormir.

Alimentação: amamentar de 3/3 horas. Mesmo que o bebê não acorde, devemos acordá-lo. Assim desenvolve o que precisa e acostuma a ser amamentado nas horas certas. 

Sei que algumas mães falam sobre amamentação em livre demanda. Que consiste em amamentar sempre que o bebê quiser.

Porém, precisamos entender duas coisas: mesmo estabelecendo horário certo das mamadas, óbvio que se percebia que a bebê queria mamar "fora do horário" eu a amamentava e o outro fator é que precisamos verificar se realmente o bebê quer ser amamentado. Muitas vezes não quer. Pode ser incomodo da posição que ficou por muito tempo, um carinho que quer receber... 

Hora de ficar acordado: É o momento após a mamada de interação com o bebê. Após colocar para arrotar, você a cada mamada pode fazer algo diferente: cantar, conversar, banho (tem pessoas que preferem antes da mamada), momento em família, ler uma história (bebês não entendem, mas amam a entonação da história). 

É um momento que não precisa durar muito tempo (5-10 minutos). Após esse momento coloca para dormir.

De acordo com o livro deveria estabelecer exatamente o que fazer em cada horário. Eu preferi não fazer assim. Penso que se acostumamos, por exemplo, o bebê a tomar banho num mesmo horário, depois se algum dia não conseguimos, ele acaba ficando enjoado.

Hora de dormir: Para dormir, colocava no berço ou Moisés ou carrinho (onde queria que tirasse o cochilo) e falava que agora era hora de dormir e descansar. Assim, acostumaram a dormir, sem que precisasse ninar ou algum outro ritual.

A Cecília acostuma muito com qualquer coisa que acontece de diferente. Um dia ela estava muito suada, estava um dia muito quente e ela não conseguia dormir. Resolvi dar um pouco de água para ver se ela acalmava para dormir e realmente resolveu. Porém, até hoje gosta de beber água ou leite para adormecer.

As mamadas delas eram as 6, 9, 12, 15, 18, 21 e 00 horas. A cada mamada fazia um momento diferente de ficar acordada, sendo que na última mamada não faz esse momento. Assim que mama, já coloca para dormir. 

De acordo com o livro, seguindo a rotina em 2 meses o bebê dorme a noite toda. As minhas filhas dormiram já no primeiro mês.

Conforme os meses iam passando, não acordava mais após a mamada das 21 horas. Com isso, aos poucos a última mamada foi ficando mais cedo. Até que com um ano dormiam as 20 horas.

Hoje a Cecília está com 1 ano e 4 meses. Dorme as 19:30h, acorda as 7 horas para mamar e em seguida dorme até as 8 horas. A Míriam tem 7 anos. Dorme as 21 horas e acorda também as 8 horas. O que acho ótimo! 

E vocês? Como fizeram para seu bebê dormir a noite toda?

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto

13 fevereiro 2017

Usar ou não usar chupeta?

Hoje muito se discute o uso ou não de chupeta. Umas mães contra e outras à favor. 

Das que são contra, já ouvi dizer que é coisa de mãe preguiçosa que não quer dar atenção à criança. Como também já ouvi de mães à favor que quem não oferece chupeta ao bebê é desumana. Ou seja, são muitas as opiniões e muitas justificativas. Por isso, quero hoje falar um pouco sobre motivos para usar e não usar. Assim, você decide o que é melhor.

Alguns motivos para usar: Para alguns especialistas pode proteger de morte súbita durante o sono; pode acalmar a criança não somente na hora do sono, mas também em momentos na qual precisa lidar com o "não"; evita que o bebê chupe o dedo; distrai o bebê em procedimentos médicos; previne desconforto auditivo em viagens com mudanças de altitude.

Alguns motivos para não usar: Pode aumentar a incidência de doenças auditiva e "sapinhos"; pode atrapalhar a amamentação quando recém-nascido; pode provocar patologias dentárias e má formação durante o crescimento dos dentes; pode atrapalhar o desenvolvimento da fala em crianças que usam após 2 anos.

Imagem: Pinterest

MINHA opinião:

* Não ofereça a chupeta antes de que o bebê esteja amamentando bem, com boa "pega" da mama e tenha estabelecido uma rotina de mamadas. - Ofereci (somente para tirar foto) à minha primeira filha assim que saímos do hospital. Ela amou e no mesmo instante quis substituir as mamadas pela chupeta. Ela não queria de forma alguma "pegar o seio", mas aceitava a chupeta. Tive que fazer ficá-la sem a chupeta e forçá-la a amamentar novamente.

* A chupeta traz conforto em procedimentos médicos - A Míriam nasceu com pé torto congênito. Com isso, com 6 dias teve que colocar gesso nas pernas e toda semana tinha que passar pelo procedimento de forçar os pés dela para a posição normal e recolocar outro gesso. O próprio ortopedista pediátrico aconselhou que déssemos chupeta. Porque mesmo que conversássemos e demonstrássemos amor, a chupeta também exercia o papel de acalentá-la.

* Retirada da chupeta - Quando minha filha completou dois anos e entendia melhor, conversamos com ela e dissemos que estava grande e por isso a chupeta só deveria ser usada para dormir. Esse é o primeiro passo. Depois comprei duas chupetas iguais, mas escondi uma. Disse que agora teria apenas uma chupeta. Se aquela estragasse, não iria comprar outra porque ela já não era mais bebê (a segunda guardei para alguma eventualidade). 

Um dia, ela não sabia onde tinha colocado a chupeta e a incentivei a dormir sem. Se tivesse o sono agitado ou não conseguisse dormir, tinha a de reserva, mas para minha surpresa, dormiu tranquilamente. No dia seguinte, conversei com ela explicando que não precisava mais de chupeta, que tinha conseguido dormir sem, que já era grandinha... aquele "papo de mãe"... e assim, ela não usou mais. 

Como parou, pedi que escolhesse um presente para comemorar. Pensei que escolheria um brinquedo, mas pediu um sapato de oncinha! Minha mãe também deu um presente e era nítido o orgulho que ela sentia dela mesma.

Existe livros que ajudam a retirada da chupeta. São bons suportes para isso!

Espero ter ajudado! Dê sua opinião por aqui nos comentários!

Se ficou alguma dúvida, comenta aqui embaixo que terei o maior prazer em responder. Se não souber, prometo pesquisar e assim, a gente aprende junto